Como renegociar dívidas: Aprenda com dicas infalíveis

Home > Planejamento financeiro > Como renegociar dívidas: Aprenda com dicas infalíveis

Quando deixa de pagar algum débito você pode sofrer várias consequências, como ter o nome sujo ou protestado; saiba como sair dessa situação

Ficar inadimplente causa uma série de problemas e atrapalha sua vida financeira e pessoal. Por isso, saber como renegociar as dívidas é fundamental para quem se encontra nessa situação.

Quando você deixa de pagar algum débito, pode sofrer várias consequências, entre elas ficar com o nome sujo nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, ou ser protestado em cartório.

Tudo isso vai impedir que você solicite  novos empréstimos ou abra crediários em lojas, além de manter seu score com uma pontuação baixa.

Se você precisa sair dessa situação de inadimplência e reorganizar a sua vida financeira, leia este artigo que preparamos com todas as informações necessárias.

Como renegociar minhas dívidas?

A primeira coisa que você deve fazer é acessar o site de todos os birôs de crédito para fazer um levantamento de todos os débitos que estão negativados.

Quando estiver com todas essas informações em mãos, você pode tentar negociar o pagamento com os credores, que muitas vezes disponibilizam centrais de cobrança específicas para este fim.

Você deve analisar seu orçamento antes para encaixar as parcelas do pagamento, caso contrário terá dificuldades em quitar o valor e vai acabar atrasando. Se puder pagar o débito à vista, peça desconto sobre o valor total. Por fim, depois que conseguir limpar o nome, é fundamental fazer um planejamento financeiro para evitar entrar em novas dívidas. 

Depois que conseguir limpar o nome, é fundamental fazer um planejamento financeiro para evitar entrar em novas dívidas (Headway/Unsplash)

Com quanto tempo uma dívida pode ser renegociada?

Não existe um prazo específico para que uma dívida possa ser negociada. A partir do primeiro dia de atraso você já pode tentar uma renegociação, mas os critérios para aceitar ou não dependem de cada empresa.

Como tirar os juros de uma dívida

Não é possível simplesmente retirar os juros de uma dívida, pois eles estavam no contrato que você assinou quando fez o empréstimo ou financiamento.

O que você pode fazer é tentar negociar com a empresa para tirar pelo menos uma parte dos juros que estão sendo cobrados, principalmente em casos de taxas mais altas, como cartão de crédito.

Uma outra maneira é trocar uma dívida cara por outra com juros mais baratos. Por exemplo: se você está devendo no rotativo do cartão, pode fazer um empréstimo com juros menores para quitar essa dívida e evitar o pagamento de encargos tão elevados.

Não tenho como pagar minhas dívidas: O que fazer?

Se você está com o orçamento comprometido e não consegue mais pagar alguma dívida, pode adotar algumas medidas para tentar resolver a situação. Veja abaixo: 

Como renegociar e pagar uma dívida alta?

Para pagar uma dívida alta, o processo de renegociação é o mesmo. Você deve entrar em contato com a empresa e fazer uma proposta de pagamento, tentando sempre adequar o valor a ser pago com a sua realidade atual.

Se você tiver pouco dinheiro sobrando, deve tentar parcelar em mais vezes, para que o valor da parcela caiba no seu bolso e você consiga fazer os pagamentos sempre em dia.

Também é importante verificar qual valor dessa dívida refere-se ao produto ou serviço que você adquiriu, e o quanto é referente aos juros pelo atraso.

No caso de débitos com valor muito alto por conta dos juros compostos, é possível que a empresa aceite receber um valor mais baixo, já que boa parte da dívida se refere a encargos financeiros e não ao produto em si. 

Onde posso parcelar todas as minhas dívidas?

Não existe uma opção de parcelar todas as dívidas de uma vez só, a não ser que sejam dívidas com a mesma empresa. Neste caso, você poderá entrar em acordo com a empresa e juntar todas as dívidas em um único parcelamento.

Lembrando que você consegue acessar a dívida pelo site do birô de crédito onde seu nome está sujo, e alguns deles possuem a opção de a negociação pelo seu próprio sistema.

Tanto a Serasa quanto o Boa Vista e o SPC disponibilizam a opção de negociação de débitos direto em seus sites, desde que a empresa que negativou o seu nome participe deste programa.

Se você fizer a renegociação dessa forma, também deverá avaliar informações como a taxa de juros do parcelamento da dívida e os descontos para o pagamento à vista.

Caso fique com dúvidas ou não ache as condições tão vantajosas, o ideal é fazer o acordo diretamente com a empresa, pelos canais de atendimento próprios.

O que pode acontecer com uma pessoa que está devendo ao banco?

A primeira coisa que pode acontecer com alguém que está devendo ao banco é ficar com o nome sujo nos órgãos de proteção ao crédito.

Depois que a dívida atrasa, o banco costuma entrar em contato com o cliente para fazer a cobrança. Se não houver pagamento, ele vai negativar o CPF do devedor.

Um outro procedimento que poderá ser feito é o protesto desta dívida em cartório, que é uma espécie de formalização de um débito que não foi pago.

Por fim, o banco pode entrar com uma ação para tentar reaver o valor devido na justiça civil.

Dicas para renegociação de dívidas

Se você está com uma dívida que não consegue mais pagar, procure negociá-la o quanto antes. 

Acordo de débitos no cartão de crédito

O cartão de crédito cobra juros muito altos. Por isso, estourar o orçamento e ficar inadimplente com esse tipo de cartão infelizmente acaba sendo comum.

Se você está pagando o rotativo no cartão, o banco é obrigado a oferecer uma linha de crédito com juros mais baixos para quitar esse débito.

Se mesmo assim você não conseguir pagar o saldo que está em aberto, poderá solicitar uma renegociação de dívida. Se boa parte do valor devedor for referente a juros pelo atraso, tente solicitar o maior desconto possível.

Se você está pagando o rotativo no cartão, o banco é obrigado a oferecer uma linha de crédito com juros mais baixos (Unsplash/Avery Evans)

Acordo de dívidas com banco

O banco possui algumas dívidas bem caras, como o cheque especial, que cobra juros que podem chegar aos 150% ao ano. Por isso, se você está devendo para o banco, deve procurar fazer um acordo e pagar o quanto antes.

O tipo de acordo sempre varia de banco para banco e as condições oferecidas vão depender da instituição onde você possui conta. No geral, os bancos podem oferecer condições vantajosas, porque vale mais a pena receber uma parte do valor do que não receber nada.

Portanto, procure negociar para pagar o menor juros possível e parcele em prestações que caibam no seu bolso.

Negociar dívidas de empréstimo pessoal

Fazer um empréstimo pessoal pode salvar suas finanças em um momento de maior aperto, mas você precisa ficar muito atento aos juros e ao valor das parcelas mensais.

Se estiver difícil de pagar o valor estipulado nas parcelas, procure o seu banco e proponha uma renegociação, estendendo um pouco mais o prazo para que o valor das parcelas diminua.

Mas lembre-se de que quanto mais demorar para quitar o empréstimo, mais juros você vai pagar para o banco.

Acerto de dívidas do cheque especial 

Como falamos, a dívida do cheque especial pode chegar a 150% ao ano. Isso quer dizer que um débito de R$ 1.000 se transforma em R$ 2.500 após 12 meses se você não fizer o pagamento.

Assim como no caso do rotativo do cartão, se o cliente usar o cheque especial por mais de 30 dias o banco deverá oferecer uma linha de crédito com juros mais baratos como opção para quitação do valor.

Caso não esteja conseguindo pagar uma dívida no cheque especial, vale a pena usar essa opção de crédito com juros mais baixos, assim você gasta menos com o pagamento de encargos financeiros.

Se mesmo assim não conseguir pagar, procure fazer uma negociação com o banco, propondo um valor mensal que caiba no seu orçamento. 

Negociar dívidas de financiamentos

Os financiamentos normalmente possuem prazos mais longos, podendo ultrapassar os 30 anos, no caso de um imóvel, por exemplo. Mas se você não fizer o pagamento, poderá perder o bem que está sendo financiado.

Por isso, antes mesmo de se endividar, procure analisar bem o contrato, os prazos e a taxa de juros cobrada. Se você estiver pagando uma taxa muito alta e o banco não aceitar diminuir, você poderá solicitar a portabilidade do financiamento para outra instituição.

homem negro bom score assinando contrato de empréstimo
Antes mesmo de se endividar, procure analisar bem o contrato, os prazos e a taxa de juros cobrada (Unsplash/Cytonn Photography)

Mas se atrasar as parcelas e não conseguir pagar, a única saída é propor ao banco uma renegociação, propondo parcelar o valor que está em atraso, por exemplo.  

Acerto de dívidas de consignado

Assim como outros empréstimos, se você não conseguir pagar a dívida do consignado, deverá tentar renegociar o débito com o banco e propor alguma condição que seja vantajosa para você.

Lembrando que o consignado possui uma taxa mais baixa em relação a outros empréstimos, então não vale a pena fazer outra dívida para pagar esse débito, pois ela será mais cara ainda.

Conclusão

Ficar devendo traz uma série de consequências ruins, como a negativação do nome e até mesmo a perda do bem, no caso de financiamentos.

Portanto, se você possui alguma dívida que não conseguiu pagar, procure entrar em contato com a empresa e fazer uma renegociação do débito.

As condições da negociação, como valor das parcelas, prazo e taxa de juros, sempre vão depender de cada instituição. O ideal é que você se reorganize financeiramente e faça a negociação sabendo exatamente o quanto pode pagar e por quanto tempo.

Lembre-se de que quanto antes você sair dessa situação, mais tranquilo vai ficar, tanto em relação às suas finanças quanto à vida pessoal.

Procure negociar com a empresa para pagar o menor juros possível (Unsplash/Cytonn Photography)

Equipe alt.bank

Nosso time de especialistas está focado em criar conteúdos relevantes para te ajudar a ter mais autonomia financeira e promover um sistema financeiro mais justo no Brasil.

Deixe um comentário