Como controlar os gastos no cartão de crédito e não estourar o orçamento?

Home > Como economizar > Como controlar os gastos no cartão de crédito e não estourar o orçamento?

Ter um bom controle do cartão de crédito é possível e fundamental para evitar o endividamento; veja como fazer 

Controlar os gastos no cartão de crédito é fundamental para quem quer ter as finanças em dia.

Para você ter ideia, o mau uso do cartão de crédito foi citado por 81% das pessoas como o maior vilão do superendividamento em 2020, segundo um levantamento da Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor).

Se você quer usar o cartão da melhor maneira possível, fugindo do endividamento e dos juros altos, leia esse artigo até o final!

Controlar gastos no cartão de crédito: É possível?

Controlar os gastos no cartão de crédito é possível e necessário. Como você sabe, as compras feitas nesse tipo de cartão não são debitadas na mesma hora e isso cria a falsa sensação de que o gasto não terá impacto no seu orçamento.

Quando pensamos assim, esquecemos que o valor total precisa ser pago no vencimento, pois os juros quando você paga o mínimo são extremamente altos, podendo causar sérios problemas financeiros.

Nos próximos tópicos nós mostramos como controlar seus gastos no cartão.

Controlar os gastos no cartão de crédito é fundamental para quem quer ter as finanças em dia

O que é essencial?

Gastos essenciais são aqueles que você não pode deixar de fazer. Compras de alimentos e produtos de higiene no supermercado, por exemplo, são gastos essenciais.

Gastos na feira, no hortifrúti, no açougue e qualquer outro estabelecimento relacionado a alimentação também entram nesta lista de essenciais.

Compra de roupas e itens de vestuário também podem ser considerados essenciais, desde que você esteja precisando com urgência daquele item. Por exemplo: você precisa de um tênis novo porque o único que você tinha rasgou.

Já se você tiver 10 pares de tênis em boas condições, comprar o 11º será considerado um gasto desnecessário, concorda?

Gastos desnecessários

Gastos desnecessários são todos aqueles que você pode evitar, sem que isso traga problemas ou prejuízos para a sua vida.

Comprar uma roupa de marca cara, por exemplo, pode ser considerado um gasto desnecessário. Comprar um relógio ou um acessório da moda, também pode entrar nesta categoria.

Se você tiver dinheiro suficiente para isso, sem problemas. Mas quando o orçamento é curto, devemos evitar esse tipo de compra e focar naquilo que é essencial.

Aplicativos para te ajudar no controle

GuiaBolso

O GuiaBolso possui um sistema que integra os extratos das contas bancárias e faturas de cartão de crédito, facilitando o controle dos gastos.

Também tem diversos recursos como a categorização automática de despesas e permite estabelecer metas para cada categoria de gastos.

Mobills

Permite que o usuário acompanhe suas faturas do cartão e não seja pego de surpresa.

Disponibiliza gráficos interativos, que mostram onde você está gastando seu dinheiro e como melhorar sua situação financeira.

12 dicas para economizar no cartão de crédito

1 – Não compre por impulso

Antes de comprar algo no cartão de crédito, pare por um minuto e pense se realmente precisa daquele item. Se for algo essencial, que você não pode ficar sem, então vá em frente.

Já se for um produto supérfluo, que você não precisa com urgência, pense duas vezes e só compre se você tiver plena condição de arcar com os gastos no vencimento da fatura.

2 – Se o seu limite for muito alto, reduza

Ter um limite muito alto no cartão de crédito pode ser uma cilada. Imagine que seu salário é de R$ 2 mil e você tem um limite de R$ 5.000 no cartão. As chances de cair em tentação e gastar mais do que pode pagar são altas, né?

Então evite esse tipo de situação mantendo o limite dentro da sua realidade financeira.

3 – Não use o cartão como uma extensão do salário

Algumas pessoas pensam assim: “meu salário é de R$ 1.500 e o meu cartão tem limite de R$ 1.000. Então eu posso gastar R$ 2.500 no mês (somando salário e limite do cartão)”.

Esse é um erro muito sério! Nunca pense no cartão de crédito como uma extensão do seu salário.

 O cartão deve ser visto como uma ferramenta de crédito, que vai ajudar no seu planejamento e possibilitar a compra com pagamento prorrogado por até 40 dias, em média.

4 – Sempre pague o total da fatura

Se você não pagar o total da fatura vai ter que arcar com juros altíssimos. De acordo com dados do Banco Central, os juros do rotativo do cartão ultrapassam os 800% ao ano facilmente.

Por isso, programe-se para pagar sempre o valor integral e evite ao máximo entrar no rotativo do cartão.

5 – Se entrar no rotativo, tente antecipar o próximo pagamento

Se você tiver algum imprevisto e precisar pagar o rotativo, tente antecipar o pagamento do próximo mês assim que for possível.

Dessa forma você vai pagar menos juros, pois eles serão proporcionais ao período entre o vencimento da fatura e a antecipação do que ficou faltando.

6 – Pense como se estivesse comprando no débito

Uma dica para evitar gastos muito altos no cartão de crédito é pensar como se o valor fosse sair na mesma hora da sua conta.

 Assim você aumenta a sua precaução e evita aquela ilusão de que o limite pode ser utilizado sem nenhum controle. Lembre-se: uma hora a conta chega!

7 – Nunca empreste o cartão para amigos ou familiares

Emprestar o cartão para amigos e familiares é uma grande cilada. Por mais que essa atitude possa ser um gesto solidário, as chances de você não ver o dinheiro e ficar com a dívida são muito altas.

Segundo dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), entre os brasileiros que estavam inadimplentes em 2019, 24% tinham emprestado o próprio nome a terceiros e ficaram a ver navios. Complicado, né?

8 – Evite sair de casa com o cartão de crédito

Se você não precisar comprar algo essencial, deixe o cartão de crédito em casa. Assim você evita a tentação de comprar alguma coisa por impulso e acabar se endividando.

9 – Data de vencimento perto do seu pagamento

Se você recebe seu pagamento todo dia 1º, coloque a data da fatura para o mesmo dia ou no máximo alguns dias depois. Assim você consegue ter um controle maior para pagar o cartão sempre em dia, evitando atrasos e pagamento de juros altos.

10 – Cuidado com as compras parceladas

As compras parceladas podem passar a falsa sensação de que você está gastando pouco. Só que muitas pessoas acabam fazendo várias compras desse tipo e quando percebem, o valor das parcelas ficou fora de controle.

Então procure pagar à vista ou em 2 ou 3 parcelas. Se for parcelar em mais vezes, tenha cuidado para não se endividar muito.

11 – Faça um controle dos gastos 

Controle os gastos do cartão, acessando constantemente a fatura e anotando tudo que foi comprado até o momento. Alguns aplicativos também podem facilitar sua vida nesse sentido, automatizando este processo.

Controle os gastos do cartão, acessando constantemente a fatura e anotando tudo que foi comprado até o momento

12 – Tenha apenas um cartão de crédito

Ter muitos cartões de crédito é um convite à inadimplência. Afinal de contas, as chances de você acabar se enrolando com os gastos é bem maior e isso poderá ter consequências financeiras graves.

Por isso, o ideal é ter apenas um ou no máximo dois cartões e pagar sempre o valor integral da fatura.

Conclusão 

Se você tiver um bom planejamento financeiro e souber controlar os gastos, o cartão de crédito poderá ajudar bastante a sua vida financeira, permitindo que você tenha mais tempo para pagar pelas suas compras.

Mas lembre-se de que é fundamental fazer os pagamentos da fatura sempre em dia, porque os juros pelo atraso são altíssimos.

Então siga as dicas deste artigo, evite gastos desnecessários e use o cartão com consciência. Você só tem a ganhar e suas finanças agradecem!

Se você tiver um bom planejamento financeiro e souber controlar os gastos, o cartão de crédito poderá ajudar bastante a sua vida financeira

Equipe alt.bank

Nosso time de especialistas está focado em criar conteúdos relevantes para te ajudar a ter mais autonomia financeira e promover um sistema financeiro mais justo no Brasil.

Deixe um comentário