Economizar na Black Friday 2021: Guia completo para aproveitar de verdade e com segurança

Home > Como economizar > Economizar na Black Friday 2021: Guia completo para aproveitar de verdade e com segurança

Se você chegou até este artigo, aposto que a sua maior insegurança com o dia de promoções no Brasil são os preços. Deve estar pensando: “Como economizar na Black Friday sem ser enganado?”

É natural que esses questionamentos apareçam. Apesar de já estar bastante consolidada no país, o dia de promoção acumula um passado complicado com episódios de valores inflados e descontos falsos. 

Fica a pergunta: é possível aproveitar a promoção e evitar a “Black Fraude” em 2021?

A resposta é sim – mas você precisa estar preparado para encontrar ofertas atrativas sem se endividar ou cair em ciladas. 

Este artigo traz um guia de como aproveitar os saldões, tanto nas lojas virtuais como nas lojas físicas, e ainda ficar com bom crédito no mercado.

Boa leitura!

O que é Black Friday?

Sabe o que está por trás da data? O termo em inglês pode dar a entender que é algo muito distante da realidade brasileira, mas a explicação é simples.  

A Black Friday – que traduzida para o português significa “Sexta-feira Negra” – é uma campanha de vendas com altos descontos. Esse dia já é adotado em mais de 14 países, além do Brasil!

A data surgiu nos Estados Unidos no século passado, e tradicionalmente acontece na última sexta-feira do mês, um dia após o feriado de Ação de Graças, quando os norte-americanos celebram as boas conquistas no ano.

Em 2021, o dia 26 de novembro está reservado para a Black Friday no Brasil, por isso, salve a data no seu calendário! 

A Black Friday surgiu no século passado, nos EUA, e acontece após o feriado de Ação de Graças americano. (Unsplash/CardMapr)

Como surgiu a Black Friday?

Ninguém sabe ao certo como a data foi criada. Alguns defendem que a expressão nasceu no final do século XIX, em plena corrida do ouro. Outros apostam que o termo foi criado por policiais da Filadélfia após um feriado de Ação de Graças com grande movimentação nas ruas. 

Independente da origem, a Black Friday já ganhou adeptos no Brasil. 

Somente em 2020, o saldão movimentou R$ 3,74 bilhões, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). 

É a quinta maior data para os comerciantes, ficando atrás somente do Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Pais.

Como a Black Friday chegou ao Brasil?

Quem é veterano no e-commerce brasileiro deve lembrar de como a promoção chegou ao país, há uma década. 

A campanha começou na internet em 2010 e entrou para o calendário oficial do varejo um ano depois, em 2011.

Se antes os descontos estavam disponíveis somente nas lojas virtuais, agora, também é possível aproveitar os preços mais baixos em lojas físicas.

No entanto, é preciso ter cuidado antes de passar o cartão. Golpistas aproveitam o momento para aplicar esquemas que prejudicam o consumidor. 

Por isso, além de pesquisar o melhor valor, o cliente deve também investigar a procedência da loja. 

Para conseguir bons preços, lembre primeiro de se proteger. Assim, além de economizar na Black Friday, você evita prejuízos no futuro!

Os preços realmente ficam mais baixos?

Apesar dos preços ficarem, realmente, mais atrativos, não são todos os produtos que reduzem o valor no dia de ofertas. 

Para acompanhar as mudanças de preços antes da Black Friday, a CNC monitorou 2 mil produtos em 2020. A análise mapeou as alterações de valor duas semanas antes das promoções e chegou às categorias mais vantajosas.  

Confira o produto e a porcentagem de cada um:

  • Console de videogame: 19% mais barato
  • Notebook: 17% mais barato
  • Games PC: 14% mais barato
  • Calça Masculina: 13% mais barato
  • Aspirador de pó e água: 11% mais barato
  • Smart TV Box: 10% mais barato
  • Tênis: 8% mais barato
  • Bolsa: 6% mais barato
  • Sapato Masculino: 5% mais barato
  • Smartwatch: 5% mais barato
  • Purificador de água/Filtro: 5% mais barato
  • Micro-Ondas: 4% mais barato
  • Monitor: 4% mais barato
  • Tablet: 3% mais barato
  • Ventilador/Circulador: 3% mais barato
  • Telefone Fixo: 3% mais barato
  • Celular e Smartphone: 2% mais barato
  • Produto para pele: 2% mais barato
  • Calça Feminina: 2% mais barato
  • Impressoras e Multifuncionais: 1% mais barato
  • Guarda-roupas: 1% mais barato
  • Fritadeira Elétrica: 1% mais barato 

Dicas para economizar na Black Friday

Agora que já sabe quais produtos valem mais a pena, é hora de partir para as compras. 

Mas vamos com calma antes de encher o carrinho! 

Um bom planejamento financeiro é a saída para não entrar no vermelho. Alguns cuidados, por mais simples que sejam, valem a pena – assim, você evita extrapolar o seu orçamento do mês. 

A dica é do professor Érico Veras Marques, especialista em comércio eletrônico pela Universidade Federal do Ceará (UFC). 

“A grande desvantagem da Black Friday são as compras por impulso. Não é questão de perder uma oportunidade, é saber se você está precisando ou não comprar aquele bem”, recomenda Marques.

Veja como evitar dívidas e economizar ainda mais na Black Friday!

Cofre de porquinho com várias moedas num fundo branco
Separe parte do seu orçamento para a promoção

1. Pense bem antes de comprar

Eu sei, eu sei. Você trabalha bastante e quer aproveitar bem o seu dinheiro. Queria te propor a seguinte ideia: gastar a mais em um item legal, mas pouco necessário hoje te impede de comprar algo mais importante amanhã!

Por isso saber para onde direcionar o seu dinheiro é tão importante. Não é porque os preços estão mais baixos que você precisa comprar!

2. Estabeleça uma lista prioridades

É importante chegar com o que quer comprar já na ponta da língua para não cair em tentações. Faça uma lista de tudo o que gostaria de comprar, organizando do mais prioritário para o menos prioritário. 

Gaste com consciência!

3. Pesquise. E, depois, pesquise mais ainda

Nem sempre o que está na etiqueta é o menor valor que você pode encontrar. Achou um preço que cabe na sua carteira? Veja se outra loja não oferece um pagamento mais em conta, ou um parcelamento com mais vantagem! 

Se você é cliente alt.bank, então, as compras de fim de ano podem ficar ainda mais em conta. Dá uma olhada na aba de parceiros do seu app! 

4. Coloque um teto de gastos 

Já deu para perceber que, para economizar na Black Friday, o melhor é ficar de olho nas contas, né? Calcule direitinho o quanto você tem para gastar sem apertar no dia a dia. O primeiro passo para economizar na Black Friday sempre será a organização!

5. A madrugada é o melhor horário para descontos

As lojas preferem liberar os descontos bem cedo – afinal, a maioria das pessoas estão dormindo. Passe na frente: monitore os valores de madrugada ou no começo da manhã e garanta o seu melhor preço.

6. Fique de olho nos produtos a partir de agora

Uma estratégia já percebida pelos consumidores é a da alta variação nos valores: um pouco antes de entrar em Black Friday oficialmente, a loja aumenta repentinamente o preço do produto só para baixá-lo no dia das ofertas. 

O desconto oferecido é falso! Por isso, fique de olho no seu produto a partir de agora. 

7. Registre os preços diariamente

Se possível, registre diariamente os preços dos produtos que deseja comprar. É possível fazer isso rapidamente com a função ‘print’ da tela, por exemplo.

Assim, você consegue criar um histórico personalizado de como os valores mudaram (e perceber quando uma loja está sendo desonesta). 

8. Compras na Internet? Salve todo o processo

Black Friday pode ser um prato cheio para golpistas. Registre todas as etapas da transição virtual, desde a adição do produto ao carrinho até a finalização da compra. Sem grilo no futuro!

9. Considere sempre o valor do frete e as condições de entrega

Não adianta o desconto ser bom se o transporte até sua casa custar o dobro do preço do produto. Procure as empresas com fretes grátis para sua região, ou aquelas que trabalham com entregadoras confiáveis. A meta é economizar na Black Friday sem ficar no aperreio! 

10. As redes sociais são aliadas

O bacana das redes sociais é que elas servem como uma coletânea de bons negócios. Preste atenção nos compartilhamentos de amigos! Talvez apareça uma promoção interessante daí. 

11. Use o noticiário como termômetro

Tudo passa primeiro pela Imprensa. Então, por lá, você descobre quais lojas estão com descontos, quais os estabelecimentos considerados perigosos, e outras informações relacionadas à data. 

Notícias sobre a Black Friday podem ajudar a identificar promoções (Unsplash/Artem Beliaikin)

Encontrei um produto barato. Como saber se é golpe na Black Friday?

Estamos naquele momento do texto em que é preciso chamar a atenção do leitor, afinal, queremos que a sua experiência com o dia de ofertas seja proveitoso. 

Conversamos com a advogada Izabel Miorin, do FCQ Advogados. Ela é especialista em Direito Civil e traz dicas de como identificar armadilhas nessa época do ano. 

1. Procure sites e aplicativos confiáveis

Evite clicar em propagandas! O jeito mais seguro é digitar o endereço do site no navegador e não clicar em qualquer link, oferta ou propaganda que veja em outros sites. Eles podem ser falsos. 

Os sites Reclame Aqui, Consumidor.gov.br e Proteste.org.br são bons portais para verificar a reputação de uma loja. Pesquise antes de passar o cartão!

2. Verifique os dados dos estabelecimentos

Informações como endereços físicos e eletrônicos do vendedor devem estar visíveis. Caso não consiga identificar esses detalhes básicos, desconfie. 

3. Vai comprar em loja física? Procure pela certificação INMETRO!

Além de sempre procurar comércios conhecidos, o consumidor deve atentar para a procedência dos produtos. Procure sempre pela certificação do INMETRO, do IPEM ou da ANVISA. 

É uma precaução que evitará dor de cabeça depois da compra. Vai que o produto está com defeito e precisa ser trocado? Por isso, exija nota fiscal!

4. Fui vítima de algum golpe na Black Friday. Como garantir meus direitos?

Ainda de acordo com Izabel, se você foi vítima de golpe, a primeira ação é denunciar. “Nunca deixe de denunciar, pois é importante que sejam divulgadas informações sobre quem não respeita a lei, especialmente para que os órgãos de defesa do consumidor possam aplicar punições e mapear as irregularidades”, aconselha. 

O próximo passo é abrir boletim de ocorrência e buscar ajuda no PROCON da sua cidade. 

“Se o golpe partir de alguma empresa ou pessoa física que possa ser identificada, também é importante buscar devolução do dinheiro e/ou indenização”, ressalta a advogada. 

Conclusão

Agora que você já terminou de ler o artigo, já deve estar preparado para economizar na Black Friday sem correr riscos ou ficar no vermelho. 

Deu para perceber que o pulo do gato está na prevenção, certo? Por isso, leve esses hábitos para a vida. 

Continue prestando atenção nas suas finanças e nos gastos desnecessários e evite a impulsividade. A diferença será sentida no bolso!  

Equipe alt.bank

Nosso time de especialistas está focado em criar conteúdos relevantes para te ajudar a ter mais autonomia financeira e promover um sistema financeiro mais justo no Brasil.

Deixe um comentário