Planejamento financeiro: Guia completo para cuidar do seu dinheiro

Home > Planejamento financeiro > Planejamento financeiro: Guia completo para cuidar do seu dinheiro

Introdução

Ter um bom planejamento financeiro ainda é algo distante de boa parte dos brasileiros e o descontrole de gastos costuma prejudicar a vida das pessoas.

Segundo dados da Serasa, havia 61,4 milhões de inadimplentes no país no final do ano passado, o que equivale a 38,6% da população adulta.

Um outro levantamento realizado pela Confederação Nacional dos Lojistas, em parceria com o SPC, mostra que 52,1% dos brasileiros não têm o hábito de guardar dinheiro.

“A educação financeira deficitária está diretamente ligada à dificuldade de adquirir reservas financeiras e evitar endividamentos”, afirma Philip Santos Carvas, em dissertação do programa de Pós-Graduação de Engenharia de Produção da Universidade Federal Fluminense.

A verdade é que para conseguir quitar as dívidas e passar a economizar um pouco todos os meses é fundamental ter um bom controle das finanças.

Sabe aquele carro ou moto que você gostaria de ter? Ou o imóvel que sempre sonhou em comprar para morar com a sua família? Ou ainda aquela viagem que você vem adiando há tempos por falta de dinheiro?

Pode ter certeza de que um planejamento correto vai ajudá-lo a juntar dinheiro para conquistar todas estas metas.

O que é e para que serve o planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é uma maneira de controlar as finanças para manter o orçamento equilibrado e permitir que você consiga realizar seus objetivos mais facilmente.

Quando não existe um planejamento, é comum que as pessoas tenham um descontrole de gastos e acabem entrando em uma espiral de dívidas que aumentam cada vez mais por causa dos juros.

Fazer um planejamento financeiro serve justamente para evitar que isso aconteça e possibilita uma visão mais ampla do seu orçamento, tanto pessoal quanto familiar.

Ter um planejamento financeiro é fundamental para melhorar a relação com o dinheiro e evitar problemas no futuro. (Unsplash/Micheile Henderson)

Qual a importância de um planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é muito importante para que você consiga manter o orçamento controlado e tenha uma relação saudável com o seu dinheiro, utilizando-o da maneira correta.

Quando existe a falta de organização das finanças uma série de problemas costumam aparecer. Contas em atraso, nome sujo nos serviços de proteção ao crédito e dificuldade de conseguir empréstimos são apenas alguns deles.

Tudo isso afeta diretamente o lado pessoal e provoca uma queda considerável na qualidade de vida.

Afinal, ninguém gosta de receber incessantes ligações de cobrança ou de não conseguir comprar algo por que não possui crédito.

Mas não pense que essa organização só é necessária para trabalhadores assalariados e pessoas com renda média ou baixa.

Quem nunca ouviu falar de atletas e personalidades que ganharam muito dinheiro, mas acabaram tendo sérios problemas financeiros? Pois isso acontece pela falta de planejamento, que faz com que os gastos sejam muito maiores do que as receitas.

Quando devo fazer um plano financeiro?

O planejamento financeiro é importante em todas as fases da vida. Desde o momento em que você começa a ganhar dinheiro –  mesmo que seja uma mesada dos pais – esse cuidado com as finanças já deve se iniciar.

Digamos que Pedro receba R$ 80 de mesada e queira comprar um videogame que custa R$ 1.000. Para isso, ele teria que acumular 12 meses de recebimento de mesadas, sem gastar absolutamente nada do que ganha por mês.

No entanto, juntar 100% daquilo que ganhamos costuma ser bem difícil, mesmo para um adolescente que ainda mora com os pais.

Por isso, é mais razoável que ele se planeje para guardar uma parte do valor da mesada pensando na compra do videogame e use o restante para gastos rotineiros.

Desta forma, ele poderá manter pelo menos parte da sua rotina, como idas ao cinema e passeios com amigos, e ainda realizar o sonho de ter um videogame novo – mesmo que para isso precise esperar mais tempo até juntar todo dinheiro.

Este é apenas um exemplo que mostra que o planejamento financeiro pode (e deve) ser feito por qualquer pessoa que tenha um fluxo de caixa pessoal – ou seja, que tenha receitas e despesas -, independentemente da idade ou classe social.

Qual a diferença de um planejamento financeiro familiar e pessoal?

O planejamento familiar envolve todas as finanças da família e para conseguir realizá-lo é preciso incluir as receitas e despesas de todas as pessoas que vivem juntas.

Já o planejamento financeiro pessoal é feito com base apenas nos gastos e receitas de um único indivíduo.

No entanto, esses dois planejamentos se complementam e devem ser feitos de maneira simultânea.

Vamos dar um exemplo: Patrícia é casada com Mário e eles têm dois filhos pequenos. Tanto ela quanto o seu marido trabalham e possuem rendas independentes.

Os dois têm uma conta corrente individual, em que realizam pagamentos e débitos próprios.

Mas eles também optaram por abrir uma conta conjunta, onde cada um contribui com o mesmo valor mensalmente para o pagamento das despesas familiares e gastos com os filhos.

Portanto, é aconselhável que Patrícia e Mário façam um controle tanto dos seus gastos pessoais quanto das despesas familiares, mantendo o equilíbrio financeiro e evitando o endividamento.

Ter uma reserva de emergência evita que você precise entrar em dívidas quando acontecer algo inesperado.(Unsplash/Josh Appel)

Passo a passo prático para realizar seu plano

  1. Comece anotando todos os seus gastos mensais em uma planilha. Você também pode utilizar algum aplicativo para esta finalidade ou, se preferir, pode fazer isso manualmente em um caderno;
     
  2. Anote todas as suas receitas (tudo aquilo que você ganha). Inclua salário, renda extra, comissões, vale e outras receitas que você tiver;
     
  3.  Some primeiro os gastos e depois some todas as suas receitas;
     
  4. Subtraia das suas receitas mensais a soma dos seus gastos;
     
  5. Se o resultado desta conta for positivo, significa que você ganha mais do que gasta. Isso é ótimo e já é meio caminho andado. Neste caso, você deve começar a investir o dinheiro que sobra mensalmente;
     
  6. Já se os seus gastos forem maiores do que as receitas você tem duas opções: aumentar seus ganhos mensais ou cortar parte das despesas;
     
  7. Se optar por gastar menos, comece cortando despesas menos prioritárias, como TV a cabo, refeições fora de casa ou o plano mais caro do streaming, por exemplo. Se for suficiente, você pode parar por ai;
     
  8. Se todas as suas despesas forem essenciais e você não conseguir cortar nenhuma delas, deve tentar aumentar as suas receitas fazendo algum trabalho fora do seu expediente – desde que isso não prejudique a sua vida pessoal e não atrapalhe sua rotina;
     
  9. A partir do momento em que estiver ganhando mais do que você gasta, você conseguirá investir um pouco por mês, até formar uma reserva de emergência.
Antes de fazer uma compra, pense se aquele produto é realmente necessário ou se você está comprando por impulso (Unsplash/rupixen.com)

7 dicas para controlar de forma fácil seu dinheiro

Ter um bom controle do dinheiro não precisa ser algo tão complicado. Para auxiliar nesta tarefa, preparamos algumas dicas:

Dica 1: Anote seus gastos mensais

Tenha sempre anotado quais são os seus gastos fixos mensais, como aluguel, contas da casa, compras no supermercado, parcelas de financiamento e mensalidades de cursos ou escolas, por exemplo.

Estas são as suas despesas essenciais e aquilo que você ganha por mês deve ser suficiente para cobrir todas elas.

Dica 2: Defina objetivos para os gastos

Procure ter objetivos definidos para o seu dinheiro. Por exemplo: trocar de carro, fazer uma viagem ou comprar uma casa. Com isso em mente, você deve se organizar financeiramente para conseguir atingir a sua meta.

Lembre-se de que todos esses objetivos vão envolver um bom planejamento, já que você vai precisar juntar dinheiro para conseguir realizá-los.

 Se decidir fazer um financiamento para adquirir um bem de maior valor, é fundamental levar em consideração informações como a taxa de juros e o prazo. Além disso, o valor das parcelas deve se encaixar no seu orçamento.

Procure ter objetivos definidos para o seu dinheiro. Por exemplo: trocar de carro, fazer uma viagem ou comprar uma casa (Unsplash/Tierra Mallorca)

Dica 3: Evite comprar por impulso

Antes de comprar algo, pense se aquele produto é realmente necessário ou se você está agindo por impulso.

Isso não quer dizer que você não deve adquirir as coisas que tem vontade, pelo contrário. É apenas um exercício para evitar gastos desnecessários que possam comprometer as suas finanças.

Se você chegar à conclusão de que faz sentido realizar a compra, certifique-se de que tem dinheiro para isso e que vai conseguir pagar sem prejudicar o seu orçamento.

Dica 4: Cuidado com parcelamentos

Tome cuidado com as compras parceladas, mesmo aquelas que não têm juros. Elas criam uma falsa sensação de que estamos gastando pouco, mas pode haver uma grande surpresa no final do mês.

Quando as parcelas de várias lojas começam a ser cobradas ao mesmo tempo, há uma grande chance do valor da fatura do cartão fugir do controle.

Dica 5: Negocie as dívidas e guarde dinheiro

Se estiver endividado, o primeiro passo é se organizar para quitar as dívidas e deixar de pagar juros. Negocie com os credores e peça descontos.

Assim que conseguir pagar tudo o que deve, você poderá começar a guardar um pouco por mês para construir uma reserva de emergência.

Esse é um dinheiro que você deve ter guardado para imprevistos, como a perda do emprego, problemas de saúde ou alguma outra necessidade urgente que surja ao longo da vida.

Ter uma quantia para esse tipo de situação garante a sua tranquilidade e da sua família e evita que vocês precisem entrar em dívidas quando acontecer algo inesperado.

Para controlar suas finanças você deve anotar todos os seus gastos mensais. Se você não gosta de utilizar apps específicos e nem planilhas no computador, também pode fazer isso manualmente, usando um caderno, por exemplo.

O importante é não deixar nada passar. Tudo o que você gasta, desde pequenas compras na padaria até as despesas maiores, como aluguel, financiamentos e contas da casa, devem ser registradas.

Depois de anotar tudo, você precisa fazer a soma para saber qual é o seu gasto mensal.

Se essas despesas forem maiores do que aquilo que você ganha por mês, será necessário fazer cortes de gastos para que as suas finanças fiquem em dia e você não precise fazer dívidas.

Dica 6: Guarde dinheiro com o desafio de 21 dias

Uma das melhores ideias para se planejar financeiramente é realizar o Desafio dos 21 dias.

Baseado em um estudo científico, esse desafio tem o objetivo de fazer você desenvolver um novo hábito para ter uma relação mais saudável com o dinheiro.

Veja mais detalhes no vídeo que o alt.bank preparou exclusivamente para você.

Dica 7: Planejamento financeiro 52 semanas

O chamado desafio das 52 semanas consiste em se organizar para guardar um pouco de dinheiro toda semana durante um ano.

A ideia é que essa economia seja gradual e aumente com o passar do tempo. O valor poupado deve ser de R$ 1 na primeira semana, R$ 2 na segunda, R$ 3 na terceira e assim por diante.

Acrescentando R$ 1 por semana, o último aporte será de R$ 52. Ao final das 52 semanas o valor total economizado será de R$ 1.378.

Esse desafio tem o intuito de mostrar que é possível poupar dinheiro regularmente, desde que você se planeje e tenha um objetivo bem definido.

Lembrando que o valor poupado pode ser maior se as suas condições financeiras permitirem. O mais importante é manter a constância e aumentar os aportes gradativamente.

Aplicativos para ajudar a controlar suas finanças

A tecnologia é uma ótima aliada no controle do orçamento. Alguns aplicativos de celular permitem que você consiga se planejar melhor e anotar todos os gastos e receitas de maneira mais simples e rápida.

Veja abaixo alguns apps gratuitos que podem te ajudar:

alt.bank

No aplicativo do alt.bank oferecemos uma série de benefícios, como cartão de débito e cartão virtual pré-pago para que você possa controlar melhor seus gastos.

O dinheiro no alt.bank rende mais que a poupança e você ainda recebe 2% de todas as compras elegíveis ao utilizar os cartões alt.bank nos primeiros 30 dias de uso.

E o melhor de tudo é que para abrir sua conta você não paga nada. É 100% grátis!

O aplicativo do alt.bank é uma das melhores opções para quem quer ter um bom controle das finanças e conta com diversos benefícios.

Mobills

O app Mobills permite que o usuário estabeleça metas de gastos e crie orçamentos para controlar as finanças.

Ele também disponibiliza gráficos interativos, que mostram onde você está gastando seu dinheiro e como melhorar sua situação financeira.

GuiaBolso 

Um dos apps financeiros mais conhecidos dos brasileiros, o GuiaBolso possui um sistema que integra os extratos das contas bancárias e faturas de cartão de crédito, facilitando o controle dos gastos.

 Também tem diversos recursos como a categorização automática de despesas e permite estabelecer metas para cada tipo de gastos.

Minhas Economias

Entre as funcionalidades deste app, o usuário pode lançar as suas receitas e despesas mesmo quando não estiver conectado à internet. 

As informações ficam registradas no celular, e quando estiver online é só fazer a sincronização com a sua conta no site.

Lide melhor com o dinheiro: 4 cursos grátis de planejamento financeiro

Se você tem dificuldade em se organizar financeiramente, fazer um curso vai ajudá-lo a entender melhor como colocar em prática um bom planejamento das finanças.

Você também pode acessar o canal do Youtube do alt.bank. Lá você verá uma série de vídeos para se educar financeiramente. Confira e mande sugestões para gente melhorar cada dia mais.

Veja abaixo alguns cursos online e gratuitos sobre o tema:

Curso: Como organizar o orçamento familiar
Escola: FGV (Fundação Getulio Vargas)

Curso: Como gastar conscientemente
Escola: FGV (Fundação Getulio Vargas)

Curso: Como planejar a aposentadoria
Escola: FGV (Fundação Getulio Vargas)

Curso: Como organizar suas finanças
Escola: B3 (bolsa de valores brasileira) em parceria com o GuiaBolso

Conclusão

Como você pode perceber, os benefícios de se ter uma vida financeira organizada são incontáveis. Portanto, essa deve ser uma prioridade para todas as pessoas.

Se você ainda não tem um bom controle do seu orçamento, siga as dicas deste artigo, faça os cursos gratuitos e baixe as ferramentas disponíveis, como apps ou planilhas de finanças pessoais.

Lembre-se de que controlar as finanças vai permitir que você conquiste seus objetivos mais facilmente e trará qualidade de vida para você e toda sua família.

Então espalhe essas informações entre as pessoas que você gosta e coloque todos os ensinamentos em prática! 

Equipe alt.bank

Nosso time de especialistas está focado em criar conteúdos relevantes para te ajudar a ter mais autonomia financeira e promover um sistema financeiro mais justo no Brasil.

Deixe um comentário