Salário Mínimo Ideal 2022: Você ganha o que precisa?

Home > Justiça financeira > Salário Mínimo Ideal 2022: Você ganha o que precisa?

Qual o salário mínimo ideal para se viver bem no Brasil em 2022? Segundo os mecanismos de análise do Google, todos os anos perto da divulgação do reajuste do salário mínimo as buscas por esse termo aumentam.

E isso não é uma surpresa, com a população vivendo a diminuição do poder de compra por conta da inflação está difícil fechar as contas sem cair no vermelho e a esperança de um reajuste significativo está sempre lá, certo?

A realidade é que os reajustes anuais do salário mínimo andam fazendo pouca ou nenhuma diferença no final do mês, se comparados com o aumento dos preços dos produtos e serviços.

Por isso, está difícil para grande parte dos assalariados fechar as contas sem cair no vermelho.

Mesmo que você tenha ganhos superiores ao mínimo, é preciso entender que este é um índice econômico de extrema importância.

É uma referência não só para outros índices da economia, mas também para o trabalhador comparar com o seu próprio rendimento.

Com isso, é possível calcular o que seria um valor justo por seu esforço. O valor do salário mínimo impacta o seu bolso, não importa sua remuneração.

O valor do salário mínimo impacta o seu bolso, não importa sua remuneração.

Por isso, se você quer compreender a realidade do salário mínimo ideal no Brasil continue lendo!

Qual o salário mínimo ideal em 2022?

Segundo o Dieese, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o salário mínimo ideal em abril de 2022 deveria ter sido de R$ 6.754,33.

Bem diferente da realidade, certo? O salário mínimo atual é de R$ 1.212, ou seja, para ganhar o necessário seria preciso ganhar mais de cinco vezes o mínimo estipulado.

Salário mínimo de acordo com o Dieese

A estimativa do salário mínimo ideal é feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. 

Para chegar ao número final é levado em consideração as despesas de uma família de 4 pessoas em gastos como moradia, alimentação, educação, saúde, vestuário, higiene, previdência e lazer.

Esse cálculo é feito mensalmente pelo Dieese para demonstrar qual o rendimento mínimo necessário para um trabalhador e a sua família pagarem as contas do mês.

Uma parte desse cálculo é realizado em cima do valor da cesta básica mais cara do país, atualmente a de São Paulo, com o custo de R$ 803,99.

Aumento dos produtos

O salário mínimo foi criado em 1938 com o objetivo de dar aos trabalhadores e suas famílias condições para pagar o básico com alimentação, moradia e transporte. 

E convenhamos, muita coisa mudou desde essa época! Apesar dos trabalhadores terem mais direitos como férias, FGTS e carteira assinada, o poder de compra da população vem caindo nos últimos tempos. 

Um dos motivos por trás disso é a inflação, com a alta de 1,73% em abril, a maior variação desde 1995, é de se esperar que o bolso do assalariado sofra.

Segundo o Dieese, responsável pela divulgação do salário mínimo ideal, 71,71% do salário mínimo líquido do trabalhador foi comprometido no mês de abril para compra de alimentos básicos.

Salário Mínimo e Cesta básica

Mas porque estamos falando tanto da cesta básica? 

“Em âmbito legal, foi em 1938 que o Brasil sancionou o Decreto-lei n. 399, que regularizou o salário mínimo e estabeleceu a alimentação mínima a ser garantida ao trabalhador brasileiro. Para tanto, indicou treze itens indispensáveis e que iriam compor o “grupo de alimentos equivalentes aos da ração-tipo”, isto é, o conjunto de alimentos mínimos necessários diariamente a um adulto.” diz Gisele A. Bovolenta em seu artigo “Cesta básica e assistência social: notas de uma antiga relação”.

De forma simplificada, a cesta básica foi criada com o objetivo de atribuir um mínimo com gastos de alimentação e como um componente base para definir o salário mínimo.

A intenção era promover o salário mínimo ideal para que o assalariado conseguisse bancar os custos básicos de alimentação para viver, além de, é claro, gastos com moradia e outros itens essenciais.

Sendo assim, a cesta básica e o mínimo estão diretamente ligados desde o seu início.

Gráfico salário mínimo em 2022

O salário mínimo oficial para o ano de 2022 é de R$ 1.212 conforme publicado no dia 02 de junho no Diário Oficial da União. 

Nesse caso, o salário mínimo estipulado é de R$ 40,40 por dia e R$ 5,51 por hora durante um dia de trabalho. 

Sempre existiu uma diferença entre o salário mínimo vigente e o salário mínimo ideal e a cada ano que passa essa diferença de valores vem aumentado

Horas Trabalhadas

Segundo o Dieese, com o mínimo vigente, são necessárias 145 horas e 56 minutos de trabalho para pagar uma cesta básica na cidade de São Paulo. 

Se o habitual turno de 8 horas trabalhadas soma 220 horas, sobram 75 horas e 4 minutos trabalhados para gastos em itens que não são de alimentação. 

Em reais, sobrariam R$408,01 para bancar gastos com moradia, saúde, contas de luz e água, entre muitos outros custos essenciais de uma pessoa.

Quando o salário mínimo é reajustado?

Pela constituição, o salário mínimo deve ser ajustado seguindo o INPC, ou Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do ano passado. 

Contudo, como o reajuste dos rendimentos precisam ocorrer a partir do dia primeiro de janeiro, antes da divulgação do resultado do INPC pelo IBGE, o governo realiza uma estimativa para a correção. 

Nos últimos anos os aumentos foram de R$ 1.045,00 em 2020 para R$ 1.100,00 em 2021 e R$ 1.212,00 em 2022. Apesar dos aumentos, ainda estão bem distantes do pagamento mínimo ideal.

Caso você ganhe um salário mínimo, fique atento aos noticiários no início de janeiro para descobrir o reajuste vigente

Mas, afinal o que pode ser considerado um bom salário?

A resposta para essa pergunta é: depende! O valor de uma boa remuneração pode mudar dependendo da sua região, estilo de vida, formação familiar e gastos essenciais.

Em um artigo chamado “Felicidade, saciedade de renda e pontos de virada ao redor do mundo” escrito por Andrew T. Jebb, Louis Tay, Ed Diener e Shigehiro Oishi em 2018, é definido que um ótimo pagamento mensal na América Latina é de $35 mil dólares por ano. 

Nos dias de hoje, isso seria em torno de 170 mil reais no Brasil e o equivalente a 15 mil reais por mês. 

E vamos falar a verdade, esse é um valor bem irreal para os brasileiros, certo? Em um país com 11,9 milhões de desempregados segundo o IBGE e com 33,8 milhões de trabalhadores que ganham menos ou até um salário mínimo, segundo o levantamento da LCA Consultores, é bem difícil aplicar essa pesquisa na realidade.

Então, os brasileiros não têm um bom ordenado? A resposta para qual seria um bom salário não é algo tão fácil de mensurar e é algo que apenas você pode definir para a sua realidade!

Uma boa remuneração é essencial e com um bom planejamento financeiro, organização para o futuro e pé no chão também é possível alcançar e construir o seu salário ideal ao longo dos anos.

Conclusão

Esperamos que esse artigo tenha te ajudado a ter uma visão mais ampla sobre o que seria um pagamento ideal na economia atual do Brasil. 

Com os preços disparados, a inflação subindo e a instabilidade atual do país é natural que cada vez mais pessoas tentem entender esse cenário, afinal de contas, é algo que afeta diretamente a vida de todos os brasileiros. 

Ficou com alguma dúvida? Já pensou sobre qual seria o salário mínimo ideal para você? Escreva abaixo nos comentários, nós iremos adorar saber a sua opinião! 

Equipe alt.bank

Nosso time de especialistas está focado em criar conteúdos relevantes para te ajudar a ter mais autonomia financeira e promover um sistema financeiro mais justo no Brasil.

Deixe um comentário